4 de fev de 2014

CAXIAS - MA

Em Janeiro de 2014, fiz uma visita à Caxias. Caxias é a quarta maior cidade do Estado do Maranhão. É, também, a cidade natal da minha mãe. Eu morei por um ano na casa da minha avó na Travessa São Benedito. Da cidade guardo algumas lembranças como o festejos da Igreja São Benedito, do carnaval, pois, tinha medo dos homens fantasiados chamados de Fofão e, do São João. Minha Vó tinha o hábito de fazer uma fogueira na porta de casa onde assávamos batata doce. Outra lembrança que tenho de Caxias foi, o ano que estudei no Colégio Eugênio de Barros. A notas vermelhas no mês de setembro foi o motivo da única e inesquecível surra de palmatória que levei da minha Vó. 

Além da minha estória com Caxias, a história registra que os primeiros habitantes de Caxias foram os índios Timbiras e Gamelas. Em 1930 começaram a chegar os padres jesuítas, eles fundaram uma capela onde hoje está a igreja matriz, dando origem ao povoado.

Com seu crescimento, principalmente, com a vinda de comerciantes de todo o Brasil, no ano de 1811 foi transformada em Vila Caxias das Aldeias Altas.

Caxias tem uma arquitetura herdada do Século XIX e início do Século XX. Caxias é conhecida como "terras das águas cristalinas", uma vez, que o município está numa região entrecortada por um manancial composto do rio Itapecuru e seu afluentes.

A história de Caxias registra uma das revoluções do Brasil-Império: a Balaiada. A Balaiada foi assim denominada em referência a um de seus líderes, Manuel Francisco dos Anjos Ferreira, que era apelidado de Balaio. Ele era fabricante de balaios e, fora vítima de violência policial. Duas de suas filhas foram estupradas por policiais e, não houve nenhuma punição. Seu desejo de vingança, o tornou um vingador sanguinário e, com seu bando aterrorizou o interior do Maranhão, matando, violentando e devastando.

O motivo da revolta é que grande parte da população pobre do estado era contra o monopólio político de um grupo de fazendeiros da região. Estes fazendeiros comandavam a região e usavam a força e violência para atingirem seus objetivos políticos e econômicos.

O início da revolta se deu em dezembro de 1838, quando um dos líderes no movimento, Raimundo Gomes, invadiu a prisão de Vila Manga para libertar seu irmão. Na oportunidade, acabou aproveitando a situação libertando todos outros presos.

Em 1839 os balaios fizeram algumas conquistas como, a Vila de Caxias. Conseguiram, também, organizar uma Junta Provisória.

O governo maranhense organizou suas força militares, inclusive com apoio de militares de outras províncias e, passou a combater fortemente os balaios. Com a participação de muitos escravos fugitivos, prisioneiros e trabalhadores pobres da região, os balaios conseguiram obter algumas vitórias no início dos conflitos.

O Coronel Luís Alves Lima e Silva foi nomeado pelo Império como governador da província do Maranhão com o objetivo de pacificar a revolta.

Com esse introito, só me resta postar as fotos que fiz da minha visita.

CLICK NAS FOTOS PARA AMPLIÁ-LAS!


Prefeitura de Caxias - Antigo Mercado Central - 1922


Situada na Praça do Ponteon, centro de Caxias. Encravada numa área de 6.000m², fundada em 1889 por Antônio Joaquim Ferreira Guimarães, Manoel Correia Baima de Lago e Francisco Dias Carneiro, a Companhia Fiação e Tecidos União Caxiense S/A. 
Essa magnifica obra de arquitetura e engenharia tem sua estrutura metálica de origem inglesa, telhas francesas e maquinário alemão.




Catedral de Nossa Senhora dos Remédios. Situada na praça Magalhães de Almeida, serviu de depósito de pólvora na revolta da Balaiada.



Palácio Episcopal. Situado também na praça Magalhães de Almeida, ao lado da Catedral de Nossa Senhora dos Remédios.



Igreja do Rosário, localizada na praça Rui Barbosa foi construída no século XVIII por escravos para seu uso, uma vez, que eram proibidos de frequentarem as igrejas dos brancos.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição e São José. Construída na praça da matriz pelos padres jesuítas no século XVIII. São José é o Padroeiro de Caxias.



Igreja Nossa Senhora de Nazaré no bairro Trizidela em Caxias.

Igreja de São Benedito tem seu valor histórico, uma vez, que serviu de abrigo para os moradores na Revolta da Balaiada. Foi nessa igreja que meus pais casaram e que fui batizado.

Em 1973 morei por ano em Caxias com meus avós materno. Nessa época estudei no antigo Grupo Escolar Eugênio de Barros, hoje, Centro de Ensino.



A Cidade de Caxias além da sua rica arquitetura herdada do século XIX e, início do século XX, tem entre seus filhos ilustres, poetas como Gonçalves Dias, Teófilo Dias, Vespasiano Ramos e Coelho Neto. Coelho Neto foi homenageado dando nome a esta escola.

A antiga estação ferroviária foi reformada para abrigar o Instituto Histórico e Geográfico de Caxias.


Ponte Ferroviária de Caxias


O lazer é garantido no Balneário Veneza


Casarão da família Castelo, além de ser um referencial turístico da cidade de Caxias por seu acervo mobiliário e, de sua capela particular. Nesta casa minha mãe passou grande parte de sua infância e juventude.


Da Revolta da Balaiada além do fato histórico, sobrou um pouco de suas ruínas. Estão localizadas no morro Alecrim na praça Duque de Caxias.












Texto: Stanley Moore
Fonte: Wikipedia, turismo-ma.com.br, caxiasmaranhaoma.blogspot.com e www.historiadobrasil.net 







4 comentários:

  1. Muito bom, amei completamente. Amo minha cidade e fico feliz quando vejo as pessoas reconhecerem a história maravilhosa que Caxias trás pra nós. As pessoas as vezes desmoralizam a cidade por politica e outras coisas e não lembram que a cidade não é só isso, esquecem que temos uma riqueza enorme na nossa Princesinha do Sertão ♥♥

    ResponderExcluir
  2. Stanley, você sabe me dizer um nome de um fotógrafo importante que seja caxiense? Que registrou algum acontecimento histórico da cidade... Desde já agradeço.

    ResponderExcluir
  3. Stanley, você sabe o nome de algum fotógrafo que seja caxiense que registrou algum acontecimento histórico da cidade de Caxias? Pode ser um que ganhou algum prêmio, ou que seja conhecido no meio com as suas fotos...Desde já agradeço. Um abraço. P.S: Gostei de suas fotografias.

    ResponderExcluir
  4. nossa , a princesinha do sertão, morei uns meses nela

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião sobre a postagem.