31 de dez de 2011

Pousada Paraíso da Barra

Quando estiver de passagem pelo Piauí, visite Barra Grande. Barra Grande fica no município de Cajueiro da Praia. É um lugar propício para descansar ou curtir um Kite. Barra Grande têm várias pousadas, no entanto, caso queira se sentir em casa, num ambiente acolhedor, você será bem recebido pela Teresa na Pousada Paraíso da Barra. Com certeza, você não perderá seu tempo entre ligações e e-mails sem respostas.
Portanto, o caminho para uma boa estadia em Barra Grande é na Pousada Paraíso da Barra, rua Pontal da Barra, 448, Barra Grande. 
Entre em contato:
www.paraisodabarra.com.br;
e-mail: chicosiqueiraphb@hotmail.com - marianapiresrebelo@hotmail.com
Tels.: (86) 3322-3474 - 9983-1909




























17 de out de 2011

Campo Maior - Fotos do Sábado 15-10-2011

Aproveitando o sábado fui à Campo Maior, mais precisamente, na estrada para Castelo do Piauí, haja vista, que na volta da  minha última viaje ao Cânion do Poty eu perdi um filtro polarizador. Portanto, voltei para procurá-lo (e o Juscelino achou) e, aproveitei para fazer os registros abaixo.

CLICK NAS IMAGENS PARA AMPLIÁ-LAS.

Belo flamboyant encontrado às margens da rodovia.

 Vista a Serra de Altos - PI

















Reflexos nas águas da lagoa de Campo Maior - PI
Enquanto almoçava no restaurante da lagoa, essa garça pousou tão perto que ficou impossível de não fotografá-la.


















 Depois das fotos ela foi embora.
Em Campo Maior encontra-se o monumento à Batalha do Jenipapo.

















As Garças sempre aproveitam o que resta de água nessa época do ano. 


















Nem os pescadores!
 Carcará, pense num bicho arisco.

















 Esse macaco capelão em encontrei num bar quando parei para tomar uma coca-cola.
 E o belo pôr do sol na lagoa de Campo Maior - PI





4 de out de 2011

Cânion do rio poty, um passeio em suas águas

No decorrer dos últimos dez anos, fui várias vezes a cânion do rio poty. Por vezes de bike, moto, carro, percorrendo a pé grande parte desse grande desfiladeiro. Mas, sempre que o via lá de cima eu dizia que um dia o percorreria de barco. Bem amigos, esse dia chegou! Não foi de barco, foi de canoa, mas o importante é que naveguei por essa maravilha da natureza e, ver o cânion de baixo para cima é sensacional.
Mas como tudo tem um preço, eu e Juscelino tivemos de acordar às 5h:00, dirigir por mais de uma hora numa estrada de piçarra e ainda caminhar num sol escaldante por mais de 2km carregando a mochila com equipamento fotográfico (12kg), tripé, mais uma bolsa térmica com água, coca-cola e lanches.
Contratamos o Senhor Renato, dono da canoa, mas devidos alguns problemas só começamos o passeio às 10h10min, ou seja, com o sol à pino o que prejudicou um pouco na qualidade das fotos. No meio percurso "descobrimos" outro probleminha, a canoa estava entrando água, o que nos obrigou a parar na ida e na volta para esvaziá-la.
Mas, mesmo tendo esse pequenos entraves faria tudo de novo. Aliás, farei, pois já planejei para  junho/2012 uma nova viagem ao cânion com um planejamento um pouco diferente, ou seja, corrigindo os erro ocorridos.
Foram muitos registros fotográficos que fiz junto com o Juscelino e, separei alguns para vocês apreciarem. Aproveitem!

CLICK NAS IMAGENS PARA AMPLIÁ-LAS.

Primeira parada no caminho para o cânion: Fazenda Miraíma.


Começando a vida de vaqueiro?!

















Sem pressa


Paisagens da região.



Fazenda Enjeitado. Nessa casa fomos acolhido várias vezes pelo "Seu" João Fiscal (infelizmente falecido) que era seu administrador. A primeira vez foi com os colegas de bike do TBC (Teresina Bikers Clube, Juarez e Vicente) depois voltamos outras vezes com os colegas do nosso clube, Pedal Bikers Clube e, sempre eramos bem recebidos. Hoje a fazenda é administrada pelo senhor Pedroza.







Nesse local deixe o carro e seguimos a pé. Lembram que falei de uma caminhada de 2km num sol escaldante? Começa daqui.

 Aqui começa nossa aventura nas águas do poty. Vejam a cara de alegria do Juscelino.
Foto: Juscelino Reis














Para quem não sabe, essas estacas não são para segurar essa laje de pedra. Na verdade, esse é um dos muitos lugares utilizados pelos pescadores ao longo do cânion. Como eles dormem no local, essas estacas servem para eles armarem suas redes. 
 Lembram que eu disse que a canoa estava entrando água? Pois é, nesse lugar chamado de rodoviária fizemos a primeira parada para o Senhor Renato esvaziar  a canoa.


Foto: Juscelino Reis































Foto: Juscelino Reis






































Nesse estreito, fizemos uma parada obrigatória: uma, para "desencalhar" a canoa que ficou presa entre as pedras; duas, para tirar água de dentro que continuava infiltrando. Aí, aproveitei para tomar um banho que ninguém é de ferro. 





 





















Ponto final, a canoa só pode vir até aqui.


























Voltando ao ponto de origem.













 Local de partida e chegada dessa aventura.

















Como eu disse, depois de passar a manhã tirando fotos num sol escaldante, ainda tive de caminhar 2km até onde deixei o carro carregando esse peso. Fotos de Juscelino Reis.


















Na volta, belas paisagens do sertão piauiense.


















Ao fim de um dia muito cansativo, fomos brindados com esse belo pôr do sol.