27 de dez de 2015

Riachão e Carolina: Paraíso das águas

Nos dias 04 e 05 de dezembro de 2015 fiz uma viagem há muito programada. Os destinos foram as cidades de Riachão e Carolina no Maranhão. O objetivo: conhecer em dois dias o máximo de cachoeiras possíveis.
Não foi possível conhecer nem a cidade de Carolina, como também, as outras atrações locais. O motivo foi o tempo muito curto que, ainda foi "abortado" uma vez que meu parceiro de viagem adoeceu.
Partimos de Teresina até a cidade de Floriano (PI), cruzamos a ponte sobre o Rio Parnaíba e, adentramos na primeira cidade maranhense que é Barão de Grajaú.
Nosso primeiro destino é a cidade de Riachão. Em Riachão nos hospedamos na Pousada Chapada das Mesas. Esta pousada se localiza na entrada da cidade, na BR 230 em frente a rodoviária. A reserva pode ser feita no telefone (99) 98801-4612.
Em Riachão conhecemos o Joamar Gomes (Tel. 99- 99649-1297) que, além dá todas as informações dos pontos turísticos é, também, proprietário do Restaurante e Pizzaria Casa de Palha.
Com as instruções de Joamar, chegamos ao local onde se localiza diversas cachoeiras. Entre elas, a magnífica Cachoeira de Santa Bárbara e o Poço Azul. Neste local é possível passar todo o dia, uma vez, que tem restaurante que serve uma boa refeição. A visita às cachoeiras custa R$ 30,00 por pessoa.
Perto deste local, tem uma maravilha da natureza chamado Encanto Azul. Infelizmente é preciso um carro 4X4 para chegar até ela. Por enquanto, o bom, é que o acesso ainda não está sendo cobrado.
Vejamos algumas fotos:

Este foi nosso cartão de visita: uma bela seriema.

























O primeiro local que fomos conhecer foram o Poço Cristal e o Encanto Azul. Para chegar até eles, tem uma bela escada para descer e, logicamente, para subir na volta.

Assim quer a gente desce essas escada a caminho do Encanto Azul, damos de cara com o Poço Cristal.

















Admirando tanta beleza, quando conseguimos levantar a vista, temos a visão do paraíso: Encanto Azul.










O difícil foi sairmos desse lugar mas, sabíamos que ainda tinha muito coisa bonita para ver. E, de fato, tivemos. Fiquei impressionado com a beleza da Cachoeira  e do Poço Azul. Mas, para chegar até elas, mais escadas.
O que nos espera:

















As fotos abaixo corresponde aos locais descritos na parte de baixo da placa. Infelizmente a falta de chuva deixam as quedas d'águas com pouco volume.





A caminho do Poço Azul e da Cachoeira da Santa Bárbara, temos uma visão da Cachoeira Santa Paula.


A partir de agora começaremos (pra variar) mas uma descida de escada. No meio do caminho nos deparamos na pequena Cachoeira do Moreno que aproveitei para tomar um banho. Pense numa água fria.




Depois desse banho gelado, continuamos descendo a escadas até nos depararmos com a Gruta de Santa Barbara e a Cachoeira de Santa Barbara.




Meu amigão Henrique 





Sem cansar de admirar essa maravilha da natureza, seguimos o belo caminho até o Poço Azul.





O Poço Azul




Saindo do Poço Azul, tem a pequena Cachoeira do Seu Zica.



Fim do dia. Na volta, as escada de novo. Só que desta vez, subindo.



No dia seguinte nos dirigimos à Carolina. No caminho paramos para conhecer as Cachoeiras Gêmeas na cidadezinha de São João das Cachoeiras. O local é conhecido como Itapecuru. É uma espécie de balneário, conta com um gruta de pedra e, tem também, quartos para alugar. 




As Cachoeiras





























Depois de desfrutarmos um pouco de mais um banho de cachoeira (dessa vez, duas), nos dirigimos à Carolina que fica a 35 km das Cachoeiras do Itapecuru.
Em Carolina ficamos hospedado no Complexo Turístico Pedra Caída. Este hotel fica a 35 km da entrada da cidade de Carolina. Se trata de um hotel com excelente estrutura. Além dos apartamentos e chalés, o hotel conta com um teleférico de 1.200mts e, uma tirolesa que dizem ser a maior da América Latina.
Apesar dessa estrutura maravilhosa, o atendimento do hotel fica a desejar, o wi fi só funciona legal no hall de entrada, o café é franco, com poucas opções. Como exemplo, meu amigo Henrique teve uma infecção intestinal. Fui no restaurante e eles fizeram um canja mas não tinha ninguém para levar ao quarto, ou seja, sobrou pra mim, eu tive que levar.
Mas, não tem acomodações melhor na região. Portanto, quem quiser se hospedar por lá, a reserva pode ser feita por e-mail: reserva@pedracaida.tur.br / grupos@pedracaida.com. O telefone é (99)3531-2425 e 3531-2163.
Falando de coisa boa, o folheto de propaganda do hotel diz que lá cerca de 25 cachoeiras. Entretanto, eles levam para visitação três delas: a da caverna, do capela e, a magnífica santuário.
O visitante tem a opção de ir no próprio carro. Nesse caso, além de pagar para visitar as cachoeiras, paga também o guia.
Abaixo, algumas fotos do hote e, depois, das cachoeiras.
























Vejam alguns dos habitantes do hotel:



Vamos conhecer as cachoeiras. Primeiro a Cachoeira da Caverna.










Saindo da Cachoeira da Caverna, fomos à Cachoeira do Capelão. Tanto a Cachoeira da Caverna quanto a do Capelão, não há dificuldades para chegar à elas.








Nessa viagem, duas cachoeiras me impressionaram bastante. A de Santa Bárbara no Riachão e, a do Santuário em Carolina. Para chegar à Cachoeira do Santuário, tem dois acessos. Nosso guia nos levou por esta ponte de 53 mts de comprimento e uma altura de 54 metros.
Depois que passei, resolvi sacanear uma pouco com meu amigo Henrique, balançando a ponte enquanto ele passava. Não é mole não!


Vejam o medo dele.
Depois dessa ponte, uma rampa-escada até chegar embaixo dessa ponte. Lá embaixo uma passarela de madeira é o caminho que nos leva a Cachoeira do Santuário.
























Bem, é isso! Não tive tempo de ver tudo e, isso, é motivo mais do que suficiente para voltarmos. Fizemos um roteiro de viagem e, de lugares para visitar mas, não fomos nem a 10% pois, além da disponibilidade de tempo e grana, como eu disse, meu amigo adoeceu e perdemos um dia de visita a esta região maravilhosa. A volta está marcada!